23 de setembro de 2015

Comentários de João 20

_________________________________________________________________

Este capítulo faz parte da obra: “O Novo Testamento Comentado”, de autoria de Lucas Banzoli e de livre divulgação.
_________________________________________________________________


1 E no primeiro [dia] da semana Maria Madalena veio de madrugada, sendo ainda escuro, ao sepulcro; e viu a pedra já tirada do sepulcro.
2 Correu pois, e veio a Simão Pedro, e ao outro discípulo a quem Jesus amava, e disse-lhes: Tomaram o Senhor do sepulcro, e não sabemos onde o puseram.
3 Pedro saiu pois e o outro discípulo [também] , e vieram ao sepulcro.
4 E corriam estes dois juntos: e o outro discípulo correu adiante mais depressa que Pedro, e chegou primeiro ao sepulcro.
5 E abaixando-se, viu estar os lençóis; entretanto não entrou.
6 Chegou pois Simão Pedro seguindo-o, e entrou no sepulcro, e viu estar os lençóis [ali].
7 E o lenço que fora [posto] sobre sua cabeça, não [o viu] estar com os lençóis, mas [estava] dobrado em um lugar à parte.
8 Então pois entrou também o outro discípulo, que primeiro chegara ao sepulcro, e viu, e creu.
9 Porque ainda não sabiam a Escritura, que era necessário que ressuscitasse dos mortos.
10 Voltaram pois os Discípulos para [a casa] deles.
11 E Maria estava fora chorando junto ao sepulcro. Estando ela pois chorando, abaixou-se para [ver] o sepulcro.
12 E viu a dois anjos [vestidos] de branco, sentados um à cabeceira, e o outro aos pés, onde estava posto o corpo de Jesus.
13 E disseram-lhe eles: Mulher, por que choras? Disse-lhes ela: Porque levaram a meu Senhor, e não sei onde o puseram.
14 E havendo dito isto, virou-se para trás, e viu Jesus em pé, e não sabia que era Jesus.
15 Disse-lhe Jesus: Mulher, por que choras? A quem buscas? Ela, pensando que era o jardineiro, disse-lhe: Senhor, se tu o levaste, dize-me onde o puseste, e eu o levarei.
16 Disse-lhe Jesus: Maria! Ela, virando-se, disse-lhe: Rabôni! (que quer dizer Mestre).
17 Disse-lhe Jesus: Não me toques; porque ainda não subi para o meu Pai; porém vai a meus irmãos, e dize- lhes: Subo para meu Pai, e para vosso Pai; [para] meu Deus, e [para] vosso Deus.
18 Veio Maria Madalena, e anunciou aos discípulos, que vira ao Senhor, e [que] estas coisas lhe dissera.
19 Vinda pois já a tarde, o primeiro dia da semana, e fechadas as portas onde os Discípulos, por medo dos judeus, tinham se reunido, veio Jesus, e pôs-se no meio [deles] , e disse-lhes: Tenhais paz!
20 E dizendo isto, mostrou-lhes suas mãos, e [seu] lado. Então os discípulos se alegraram, vendo ao Senhor.
21 Disse-lhes pois Jesus outra vez: Tenhais Paz! Como o Pai me enviou, assim eu vos envio.
22 E havendo dito isto, soprou [sobre eles] , e disse-lhes: Recebei o Espírito Santo.
23 A quem quer que perdoardes os pecados, lhes são perdoados; [e] a quem quer que vós retiverdes [os pecados] , [lhes] são retidos.
24 E a Tomé, um dos doze, chamado o Dídimo, não estava com eles, quando Jesus veio.
25 Disseram-lhe pois os outros discípulos: Vimos ao Senhor. Porém ele lhes disse: Se em suas mãos não vir o sinal dos cravos, e não pôr meu dedo no lugar dos cravos, e não pôr minha mão em seu lado, em maneira nenhuma crerei.
26 E oito dias depois, estavam os discípulos outra vez dentro, [e] com eles Tomé; e veio Jesus, fechadas já as portas, e pôs-se no meio, e disse: Tenhais paz!
27 Depois disse a Tomé: Põe teu dedo aqui, e vê minhas mãos; e chega tua mão, e toca-a em meu lado; e não sejas incrédulo, mas sim crente.
28 E respondeu Tomé e disse-lhe: Senhor meu, e Deus meu!
29 Disse-lhe Jesus: Porque me viste, Tomé, creste; bem-aventurados aqueles que não virem, e crerem.
30 Jesus fez também ainda muitos outros sinais ainda em presença de seus discípulos, que neste livro não estão escritos;
31 Porém estes estão escritos, para que creiais que Jesus é o Cristo, o Filho de Deus; e para que crendo, tenhais vida em seu nome.




20.1 veio de madrugada, sendo ainda escuro. Quando Maria Madalena chegou ao sepulcro de Jesus, ele já tinha ressuscitado (v.2). No entanto, ainda não tinha amanhecido, que é quando se inicia o dia para os judeus (às 6:00 da manhã). Isso significa que Jesus ressuscitou antes do domingo chegar. Com base nisso, muitos estudiosos tem questionado a teoria tradicional de que Jesus morreu na sexta e ressuscitou no domingo, sustentando antes que Cristo morreu na quarta e ressuscitou no sábado. Embora haja argumentos suficientes para defender qualquer um dos dois lados nesta discussão, o que mais importa é que Jesus ressuscitou, e não em que dia que isto se deu. Se o dia em si fosse mesmo tão importante, então ele seria mencionado de forma explícita na Bíblia, o que nunca ocorreu.

20.2 o outro discípulo, a quem Jesus amava. V. nota em Jo.13:23.

20.6 viu estar os lençóis ali. Com toda a probabilidade, se trata do Sudário de Turim, que possui provas científicas incontestáveis de autenticidade. Para ler mais sobre isso, consulte o capítulo 6 de meu livro “As Provas da Existência de Deus”.

20.9 não sabiam que a Escritura. Alguns versos do Antigo Testamento que os estudiosos entendem que fazem alusão indireta à ressurreição do Messias são Oseias 6:10 e o Salmo 16:10, que foi usado por Pedro no pentecoste em relação à ressurreição de Jesus (At.2:27).

20.14 não sabia que era Jesus. Certamente porque o Cristo ressurreto não tinha mais uma fisionomia idêntica à de antes da ressurreição (o verso 15 diz que ela pensava que era o jardineiro!). Mc.16:12 diz que Jesus apareceu “em outra forma” aos crentes de Emaús, e Jo.21:4 indica o mesmo.

20.17 ainda não subi para o meu Pai. A entrega do espírito ao Pai (Lc.23:46) não implicou em seu regresso a Ele, porque o espírito humano no conceito bíblico não tem absolutamente nada a ver com uma “alma imortal” no sentido platônico.

20.17 meu Deus. O fato de Jesus ter reconhecido o Pai como Deus não implica que ele mesmo não seja Deus, da mesma forma que o fato do Pai chamar Jesus de “Senhor” em Hb.1:10 e de “Deus” em Hb.1:9 não implica que o Pai também não seja Senhor e Deus.

20.19 pôs-se no meio deles. Por transladação, à semelhança de Filipe (em At.8:39), e não porque o corpo físico ressurreto pudesse literalmente atravessar paredes físicas, o que não tem sentido algum. Nosso corpo ressurreto não voará e nem atravessará paredes, como alguns ensinam, mas será diferente deste corpo presente apenas no aspecto de ser imortal e incorruptível (1Co.15:53-54).

20.23 lhes serão perdoados. O texto grego original está no particípio perfeito passivo, como pode ser visto na tradução do Novo Testamento Interlinear: "E isto tendo dito (depois de dizer isto), soprou em (eles) e diz-lhes: Recebei Espírito Santo ([o] Espírito Santo). Se de alguns (de quem quer que) perdoeis (perdoais) os pecados, perdoados foram a eles (perdoados lhes hão sido); se de alguns (de quem quer que) retenhais (retendes), retidos foram (hão sido retidos)”. Assim sendo, podemos inferir que, ao receberem o Espírito Santo, os discípulos poderiam afirmar que os pecados de alguém foram perdoados, porque realmente já foram perdoados, e que os pecados de alguém não foram perdoados, porque de fato não foram. Não é o fato dos discípulos proclamarem que alguém está perdoado que torna alguém perdoado; ao contrário, é o fato de alguém já ter sido perdoado que faz com que os discípulos, sob a orientação e revelação do Espírito Santo, possam declarar que a pessoa já está perdoada. Da mesma forma, se não perdoarem, é porque a pessoa não foi perdoada por Deus. A ênfase é que a ação do perdão está no passado ou em andamento, mas não no futuro, conforme a teologia católica.

20.28 Senhor meu, e Deus meu. Declaração enfática e incontestável do senhorio e divindade de Cristo. Se Jesus não fosse Deus, Tomé estaria blasfemando ao cometer um grave ato idólatra, mas Jesus em momento nenhum repudia Tomé por aquilo que disse, mas confirma suas palavras no verso seguinte (v.29). Tomé também não estava dizendo "Deus meu" como quando gritamos "meu Deus" ao estarmos assustados, mas se dirigia especificamente a Jesus, o que é confirmado pelo "disse-lhe". É indiscutível, portanto, que nesta ocasião Tomé não estava reconhecendo o Pai, mas Jesus como Deus.

20.30 que neste livro não estão escritos. Ao invés de agir com prudência e cautela sobre o que não foi dito, ficando com aquilo que foi dito, as seitas descem o pé no acelerador e pisam fundo no campo das suposições, hipóteses, devaneios e delírios. Não é à toa que os mórmons, os espíritas, os muçulmanos e os católicos apostam na mesma cartada: entre essas “muitas outras coisas que não foram escritas” os mórmons presumem que está a ida de Jesus à América, os espíritas concluem que está a reencarnação, os muçulmanos acham que estão referências a Maomé, os católicos enxergam a imaculada conceição de Maria, e assim por diante. O eisegeta vai sempre se basear mais naquilo que nunca foi dito, mas que ele quer que tenha sido dito, do que naquilo que realmente foi dito – principalmente se o que foi dito é um golpe de morte em suas próprias invenções eisegéticas.

20.31 porém estes estão escritos, para que creiais. I.e, embora nem tudo o que Jesus fez foi escrito, o que foi escrito é suficiente para a nossa fé.

0 comentários:

Postar um comentário

Sua participação é importante e será publicada após passar pela moderação. Todos os tipos de comentários ou perguntas educadas são bem-vindas e serão respondidas cordialmente.