15 de julho de 2014

Comentário de Mateus 7

_________________________________________________________________

Este capítulo faz parte da obra: “O Novo Testamento Comentado”, de autoria de Lucas Banzoli e de livre divulgação.
_________________________________________________________________


1. Não julgueis, para que não sejais julgados.
2. Porque com o juízo que julgardes, sereis julgados; e com a medida que medirdes, vos medirão de volta.
3. E porque tu observas o cisco que [está] no olho de teu irmão, e não enxergas a trave que [está] em teu olho?
4. Ou como tu dirás a teu irmão: 
Deixa-me tirar de teu olho o cisco; e eis que [há] uma trave em teu [próprio] olho?
5. Hipócrita, tira primeiro a trave de teu olho, e então verás claramente para tirar o cisco do olho de teu irmão.
6. Não deis as coisas santas aos cães, nem lanceis vossas pérolas diante dos porcos, para que eles não venham a pisá-las com seus pés, e virando-se, vos despedacem.
7. Pedi, e será vos dado; buscai, e achareis; batei, e será aberto a vós.
8. Porque qualquer que pede, recebe; e o que busca, acha; e ao que bate, lhe é aberto.
9. E quem dentre vós que, se seu filho pedir pão, lhe dará uma pedra?
10. E pedindo peixe, lhe dará uma serpente?
11. Pois se vós, sendo maus, sabeis dar bons presentes a vossos filhos, quanto mais dará vosso Pai, que [está] nos céus, bens aos que lhe pedirem!
12. Portanto tudo o que vós quiserdes que as pessoas vos façam, fazei-lhes vós também assim; porque esta é a Lei e os Profetas.
13. Entrai pela porta estreita; porque larga [é] a porta, e espaçoso o caminho, que leva à perdição; e muitos são os que por ele entram.
14. Porque estreita [é] a porta, e apertado o caminho, que leva à vida; e são poucos os que o acham.
15. Mas tomai cuidado com os falsos profetas, que vêm a vós com roupas de ovelhas, mas por dentro são lobos vorazes.
16. Pelos seus frutos vós os reconhecereis. Por acaso se colhem uvas dos espinheiros, ou figos dos abrolhos?
17. Assim toda boa árvore dá bons frutos; mas a má arvore dá maus frutos.
18. A boa árvore não pode dar maus frutos; nem a má árvore dar bons frutos.
19. Toda árvore não dá bom fruto é cortada e lançada ao fogo.
20. Portanto pelos frutos deles vós os conhecereis.
21. Nem todo aquele que me diz: 
Senhor, Senhor, entrará no Reino dos céus; mas [somente] aquele que faz a vontade do meu Pai que [está] nos céus.
22. Muitos me dirão naquele dia: 
Senhor, Senhor, não profetizamos em teu nome? E em teu nome expulsamos os demônios? E em teu nome fizemos muitas maravilhas?
23. E então claramente lhes direi: 
Nunca vos conheci; saí para longe de mim, praticantes de injustiça!
24. Portanto qualquer um que me ouve estas palavras, e as faz, eu o compararei ao homem prudente, que edificou sua casa sobre a rocha.
25. E desceu a chuva, e vieram rios, e sopraram ventos, e atingiram aquela casa, e não caiu, porque estava fundada sobre a rocha.
26. Mas qualquer um que me ouve estas palavras, e não as faz, eu o compararei ao homem tolo, que edificou sua casa sobre a areia.
27. E desceu a chuva, e vieram rios, e sopraram ventos, e atingiram aquela casa, e caiu, e foi grande sua queda.
28. E aconteceu que, acabando Jesus estas palavras, as multidões se admiraram de sua doutrina,
29. Porque ele os ensinava como tendo autoridade, e não como os escribas.





7.1 não julgueis. Jesus não está dizendo que o ato de julgar é errado em si mesmo, mas sim que é errado julgar hipocritamente, como mostra o contexto imediato, que fala sobre apontar o cisco no olho do próximo quando há uma trave no nosso (vs.3-5). Este tipo de julgamento parcial e hipócrita é repudiado biblicamente, mas o julgamento honesto é incentivado em toda parte. Paulo diz que nós devemos julgar as causas desta vida (1Co.6:2), para julgarmos as causas entre irmãos (1Co.6:5), para julgarmos todas as coisas e ficar com o que é bom (1Ts.5:21), e que é para nós mesmos julgarmos (1Co.11:13), inclusive para julgarmos o que ele mesmo diz (1Co.10:15). O próprio Jesus disse para julgarmos por nós mesmos o que é justo (Lc;12:57). Se o ato de julgar fosse em si mesmo errado, então nem sequer poderia existir juízes ou julgamento criminal. Ninguém poderia ser preso, pois toda condenação envolve algum tipo de juízo.

7.6 O sentido do texto é de não desperdiçar tempo e energia com quem já demonstra não dar o mínimo valor à Palavra de Deus. Paulo diz para repreender o herege uma ou duas vezes, e depois disso rejeitá-lo, porque aquela pessoa já está pervertida e por si mesmo condenada (Tt.3:10-11).

7.14 são poucos os que o acham. Embora o ecumenismo popular tenha a tendência de colocar todo mundo no Céu por meio do slogan de que “todos os caminhos levam a Deus” (geralmente excetuando apenas os mais criminosos), biblicamente são poucos os que serão salvos, e uma multidão que se perderá. Isso mostra a dificuldade de se alcançar a salvação e a total necessidade de um comprometimento sério e profundo com a Palavra de Deus e, principalmente, com o Deus da Palavra.

7.22 e em teu nome fizemos muitas maravilhas. Embora determinadas igrejas neopentecostais usem os milagres ali ocorridos como uma “prova” de que Deus aprova tudo o que acontece ali, Jesus é claro ao afirmar que os milagres, as profecias e os exorcismos não são uma evidência de que Deus esteja necessariamente aprovando aquilo que está sendo feito ou ensinado nessas igrejas. Serão muitos os que argumentarão no dia do juízo que operaram coisas grandiosas por meio da fé, mas serão condenados por viverem uma vida de pecado e enganação. Estes muitos que pensam que os milagres são uma prova de que Deus está aprovando determinado ministério ou que não está se importando com os pecados existentes em sua vida serão surpreendidos no dia em que tudo o que está oculto vier à luz.

Um comentário:

  1. "não julgueis".

    Todo julgamento tem como consequência uma sentença. Acredito que não devemos julgar as pessoas, pois isso será feito naquele dia. Só Deus conhece as intenções do coração do homem. O cara pode pecar, no entanto ninguém sabe se foi a carne dele quem o fez ou se foi ele mesmo com dolo (conforme Paulo disse que às vezes é a carne quem pratica e não nós mesmos. Acredito que Deus olha a intenção do coração no momento de cada ato do homem- se ele fez com dolo ou não). Acho que devemos aconselhar aqueles que erraram e não julgar (pois julgamento resulta em sentença. Só podemos sentenciar a nós mesmos). Devemos pedir misericórdia e aconselhar. Mas entendi o que vc quis dizer com a palavra "julgamento".

    OBS.: no exemplo do cara que pecou, me referi a um cristão e não a um ímpio (pessoa que vive deliberadamente em pecado). Para que vc não pense que estou defendendo quem pratica o pecado. Pecado leva à aniquilação. Estou falando de uma pessoa salva e que às vezes peca (não pq ela quer, mas pq o pecado habita em todos nós). Então não devemos julgar essas pessoas (salvas) . NÃO SEI SE VC ME ENTENDEU.

    ResponderExcluir

Sua participação é importante e será publicada após passar pela moderação. Todos os tipos de comentários ou perguntas educadas são bem-vindas e serão respondidas cordialmente.