15 de julho de 2014

Comentários de Mateus 21

_________________________________________________________________

Este capítulo faz parte da obra: “O Novo Testamento Comentado”, de autoria de Lucas Banzoli e de livre divulgação.
_________________________________________________________________


1. E quando chegaram [perto] de Jerusalém, e vieram a Betfagé, ao monte das Oliveiras, então mandou Jesus dois discípulos, dizendo-lhes:
2. Ide à aldeia que de frente de vós [está] e logo achareis uma jumenta atada, e um jumentinho com ela; desatai-a, e trazei-os a mim.
3. E se alguém vos disser alguma coisa, direis: 
Que o Senhor os tem necessidade, e logo os enviará [de volta].
4. Ora, tudo isto aconteceu para que se cumprisse o que foi dito pelo profeta, que disse:
5. Dizei à filha de Sião: 
Eis que teu rei te vem manso, e sentado sobre uma jumenta, e um jumentinho, filho de [animal de carga].
6. E indo aos discípulos, e fazendo como Jesus lhes mandara;
7. Trouxeram a jumenta e o jumentinho, e puseram sobre eles suas roupas, e [o] fizeram sentar sobre eles.
8. E a muito grande multidão estendia suas roupas pelo caminho, e outros cortavam ramos das árvores, e os espalhavam pelo caminho.
9. E as multidões que iam adiante, e as que seguiam clamavam, dizendo: 
Hosana ao Filho de Davi! Bendito o que vem no nome do Senhor! Hosana nas alturas!
10. E entrando ele em Jerusalém, toda a cidade se alvoroçou, dizendo: 
Quem é este?
11. E as multidões diziam: 
Este é Jesus, o Profeta de Nazaré de Galileia.
12. E entrou Jesus no Templo de Deus: e lançou fora a todos os que vendiam, e compravam no Templo, e virou as mesas dos cambistas, e as cadeiras dos que vendiam pombas.
13. E disse-lhes: 
Escrito está: 
Minha casa, casa de oração será chamada; 
mas vós a tendes feito cova de ladrões.
14. E vieram a ele cegos e mancos ao Templo, e curou-os.
15. Vendo então os chefes dos sacerdotes e os escribas as maravilhas que fazia, e os meninos gritando no Templo, e dizendo: 
Hosana ao Filho de Davi,
irritaram-se.
16. E disseram-lhe: 
Ouves o que estes dizem? 
E Jesus lhes disse: 
Sim; nunca lestes: 
Da boca dos menininhos, e dos que mamam, [te] aperfeiçoaste o louvor?
17. E deixando-os, saiu-se fora da cidade para Betânia, e passou ali a noite.
18. E pela manha, voltando para a cidade, teve fome.
19. E vendo uma figueira perto do caminho, veio a ela, e nada nela achou, a não ser somente folhas. E disse-lhe: 
Nunca mais de ti nasça fruto, para sempre!
E logo a figueira se secou.
20. E vendo os discípulos [isto], maravilharam-se, dizendo: 
Como se secou a figueira?
21. Porém, respondendo Jesus, disse-lhes: 
Em verdade vos digo [que], se tiverdes fé, e não duvidardes, não só isto fareis a figueira, mas se até a este monte disserdes: 
Levanta-te, e lança-te no mar; 
Far-se-ia.
22. E tudo o que na oração pedirdes, crendo, [o] recebereis.
23. E quando veio ao templo, chegaram a ele, estando já ensinando, os chefes dos sacerdotes, e os anciãos do povo, dizendo: 
Com que autoridade fazes isto? E quem te deu esta autoridade?
24. E respondendo Jesus, disse-lhes: 
Também eu vos perguntarei uma palavra; a qual se a disserdes a mim, também eu vos direi com que autoridade isto faço.
25. O batismo de João de onde era? Do céu, ou dos homens? 
E pensavam em si mesmos, dizendo: 
Se dissermos, 
Do céu, 
Dir-nos-á: 
Porque pois lhe não crestes?
26. E se dissermos: 
Dos homens, 
tememos a multidão, porque tem a João por profeta.
27. E respondendo a Jesus, disseram: 
Não sabemos. 
E ele lhes disse: 
Nem eu tão pouco vos direi com que autoridade isto faço.
28. Mas que vos parece? Um homem tinha dois filhos; e chegando-se ao primeiro, disse: 
Filho, vai hoje para trabalhar à minha vinha.
29. Porém respondendo ele, disse: 
Não quero; 
e depois, arrependido, foi embora.
30. E chegando-se ao segundo, disse[-lhe] da mesma maneira; e respondendo ele, disse: 
Eu, senhor, [vou], 
e não se foi.
31. Qual dos dois fez a vontade do pai? 
Eles lhe disseram: 
O primeiro. 
Jesus lhes respondeu: 
Em verdade vos digo que os cobradores de impostos e as prostitutas vão adiante de vós ao Reino de Deus.
32. Porque veio a vós João, por via de justiça, e não lhe crestes; mas os publicanos, e as prostitutas creram nele; porém vós, vendo [isto], nem depois vós arrependestes, para nele crer.
33. Ouvi outra parábola. Houve um homem pai de famílias, o qual plantou uma vinha, cercou- a, e fundou nela um esmagador de uvas, e edificou uma torre, e arrendou-a a uns lavradores, e partiu-se para fora [daquela terra].
34. E chegando-se o tempo dos frutos, mandou seus servos aos lavradores, para receberem seus frutos.
35. E os lavradores, tomando a seus servos, a um feriram, e a outro mataram, e a outro apedrejaram.
36. Outra vez mandou a outros servos, mais que os primeiros, e fizeram-lhes o mesmo.
37. E por último lhes mandou a seu filho, dizendo: 
Terão respeito a meu filho.
38. Mas os lavradores vendo ao filho, disseram entre si: 
Este é o herdeiro, vinde, matemo-lo, e tomemos sua herança.
39. E tomando, o lançaram fora da vinha, e [o] mataram.
40. Pois, quando vier o Senhor da vinha, que fará aqueles lavradores?
41. Dizem-lhe eles: 
Aos maus má morte dará, e a vinha arrendará a outros lavradores, que lhe deem os frutos a seus tempos.
42. Diz-lhes Jesus: 
Nunca lestes nas Escrituras: 
A pedra que os edificadores rejeitaram, esta foi feita por cabeça da esquina? Pelo Senhor foi feito isto, e é maravilhoso em nossos olhos.
43. Portanto vos digo, que o reino de Deus se vos tirará a vós, e se dará a gente que produza seus frutos.
44. E quem cair sobre esta pedra, será quebrado; e quem sobre ela cair, tornar-se-á pó.
45. E ouvindo os chefes dos sacerdotes e os fariseus estas suas parábolas, entenderam que falava deles.
46. E procurando prendê-lo, temeram as multidões, porque o tinham por Profeta.




21.9 Filho de Davi. Filho de Davi é um título messiânico, pois o Messias deveria ser da descendência de Davi (Jo.7:42). Ao reconhecerem Jesus como sendo o “Filho de Davi”, aquela multidão estava mostrando sua convicção de que Jesus era o Cristo, o Messias prometido. É possível que parte desta multidão estivesse envolvida mais tarde na crucificação de Cristo, sendo incitada pelos fariseus (Mc.15:11), a quem eles tinham grande apreço, ao ponto de temerem serem expulsos da sinagoga por confrontarem suas opiniões (Jo.12:42). Mateus diz que Jesus não era muito conhecido em Jerusalém (v.10), e o episódio seguinte onde ele derruba as mesas dos cambistas (v.12) pode ter passado uma imagem negativa à multidão que não o conhecia, e que dias mais tarde pediria sua crucificação. 

21.12 Embora alguns pregadores ensinem que Jesus usou um chicote para bater nos vendedores, não há menção disso na Bíblia. Jesus derrubou as mesas e as cadeiras dos cambistas, mas não feriu as pessoas que estavam vendendo, o que seria uma contradição com o caráter moral do próprio Cristo. Essa atitude se justifica diante do fato de que o local que era para ser de adoração estava se transformando em um local de comércio – o que pode ser um reflexo de várias de nossas igrejas, em nossos dias.

21.16 dos que mamam. Assim como Deus pôde fazer com que a jumenta falasse e repreendesse Balaão (Nm.22:28), ele também pode suscitar louvor em bebês – o que obviamente não significa que o bebê possa louvar por si só, assim como a jumenta não pode falar por si própria. A Bíblia ensina que existe um período no qual a criança ainda não sabe distinguir o bem do mal e o certo do errado, em que ela está fora da idade da razão (Dt.1:39; Hb.5:13-14; Is.7:16).

21.19 nunca mais de ti nasça fruto. A figueira sem frutos era uma tipologia dos cristãos nominais que não frutificam na fé (Lc.13:6-9), sendo que os frutos são as obras que procedem de uma fé verdadeira (Tg.2:18). Uma figueira cheia de folhas mas sem frutos é um símbolo dos cristãos pela aparência, mas sem mudança de vida, sem transformação comportamental, sem regeneração. É pelos frutos (obras) que nós reconhecemos os verdadeiros cristãos, e não pelas folhas (aparência de piedade) – Mt.7:20. Tais figueiras sem fruto serão cortadas do Reino para sempre (Lc.13:6-9).

21.22 tudo o que na oração pedirdes. V. nota em Mt.18:19.

21.25 do céu. Procedente de Deus (profeta enviado por ele). dos homens. Um falso profeta, sem autoridade divina.

21.31 os cobradores de impostos e as prostitutas vão adiante de vós ao Reino de Deus. Os fariseus eram os primeiros a se proclamarem os guardiões da fé, aqueles que possuíam os oráculos divinos, mas não viviam de acordo com o que diziam (Mt.23:3) e rejeitaram o batismo de João (Lc.7:30) e o próprio Cristo (Mt.9:34). Os publicanos e as prostitutas, em contraste, embora inicialmente tenham escolhido o mau caminho, mais tarde creram em João (v.32) e em Jesus (Mateus, o autor deste Evangelho, era um publicano – Mt.10:3), mudando de vida, o que não havia acontecido com os fariseus.

21.33 um homem, pai de famílias. Deus. plantou uma vinha. O Reino de Deus na terra, naquele momento da história pertencente a Israel, e posteriormente a Igreja. arrendou-a a uns lavradores. Os sacerdotes. 21.34mandou seus servos. Os profetas. 21.35 a um feriram, e a outro mataram. Os sacerdotes que se desviaram da fé (predecessores dos fariseus) foram responsáveis pelos assassinatos dos profetas (Mt.23:35). 21.37 por último lhes mandou a seu filho. O próprio Jesus. 21.39 e o mataram. Jesus antecipa sua própria morte diante dos fariseus. 21.40 que fará aqueles lavradores. Os matará (v.41). 21.41 arrendará a outros lavradores. A Igreja, que é a reunião de todos os que creem em Cristo (cristãos), independentemente se são israelitas ou não. 21.42 foi feita por cabeça de esquina. Jesus (v. nota em Mt.16:18). 21.44 sobre esta pedra. A pedra de esquina (v.42), Cristo. É inútil tentar lutar contra Cristo (v.44), pois ele é o “Rei dos reis e Senhor dos senhores” (Ap.19:16).

0 comentários:

Postar um comentário

O seu comentário passará por moderação e em seguida será exibido ao público.