15 de julho de 2014

Comentário de Mateus 6

_________________________________________________________________

Este capítulo faz parte da obra: “O Novo Testamento Comentado”, de autoria de Lucas Banzoli e de livre divulgação.
_________________________________________________________________


1. Ficai atentos para que não façais vossa esmola diante das pessoas a fim de que sejais vistos por elas; de outra maneira não tereis recompensa de vosso Pai que está nos céus.
2. Portanto, quando fizeres esmola, não faças tocar trombeta diante de ti, como fazem os hipócritas nas sinagogas e nas ruas, para serem honrados pelas pessoas; em verdade vos digo que já receberam sua recompensa.
3. Mas quando tu fizeres esmola, não saiba tua mão esquerda o que faz a tua direita;
4. Para que a tua esmola seja em segredo, e teu Pai que vê em segredo, ele te recompensará em público.
5. E quando orares, não sejas como os hipócritas; porque eles amam orar em pé nas sinagogas e nas esquinas das ruas para serem vistos pelas pessoas. Em verdade vos digo que já receberam sua recompensa.
6. Mas tu, quando orares, entra em teu quarto, e fechando tua porta, ora a teu Pai, que [está] em segredo, e teu Pai que vê em segredo, ele te recompensará em público.
7. E orando, não façais repetições inúteis como os gentios, que acham que por muito falar serão ouvidos.
8. Não vos façais pois semelhantes a eles; porque vosso Pai sabe o que vos é necessário, antes que vós peçais a ele.
9. Vós, portanto, orareis assim: 
 Pai nosso, que [estás] nos céus, santificado seja o teu nome.
10. Venha o teu Reino. Seja feita a tua vontade também na terra, assim como no céu.
11. O pão nosso de cada dia nos dá hoje.
12. E perdoa-nos nossas dívidas, assim como nós também perdoamos aos nossos devedores.
13. E não nos conduzas à tentação, mas livra-nos do mal; porque teu é o Reino, o poder, e a glória, para sempre, Amém.
14. Porque se perdoardes às pessoas suas ofensas, vosso Pai celestial também vos perdoará.
15. Mas se não perdoardes às pessoas suas ofensas, também vosso Pai não vos perdoará vossas ofensas.
16. E quando jejuardes, não vos mostreis tristonhos, como os hipócritas; porque eles desfiguram seus rostos, para parecerem aos outros que jejuam. Em verdade vos digo que eles já têm sua recompensa.
17. Porém tu, quando jejuardes, unge tua cabeça, e lava teu rosto,
18. Para que não pareçais aos outros que jejuas, a não ser [somente] a teu Pai, que [está] em segredo; e teu Pai que vê em segredo, ele te recompensará em público.
19. Não junteis para vós tesouros na terra, onde e a traça e a ferrugem [tudo] gastam, e onde os ladrões invadem e roubam.
20. Mas juntai para vós tesouros no céu, onde nem a traça nem a ferrugem gastam, e onde os ladrões não invadem nem roubam.
21. Porque onde estiver vosso tesouro, ali estará também vosso coração.
22. A lâmpada do corpo é o olho; portanto, se teu olho for puro, todo teu corpo será luminoso.
23. Porém se teu olho for maligno, todo teu corpo estará em trevas. Então, se a luz que há em ti são trevas, como são grandes [essas] trevas!
24. Ninguém pode servir a dois senhores; pois ou odiará a um, e amará ao outro; ou se chegará a um, e desprezará ao outro. Não podeis servir a Deus e à ganância por riquezas. 
25. Portanto eu vos digo: não andeis ansiosos por vossa vida, que haveis de comer, ou que haveis de beber; nem por vosso corpo, com que vós haveis de vestir. Não é a vida mais que o alimento, e o corpo [mais] que a roupa?
26. Olhai para as aves do céu, que não semeiam, nem ceifam, nem juntam em celeiros; e [contudo] vosso Pai celestial as alimenta. Não sois vós muito melhores que elas?
27. Mas qual de vós poderá com [toda] sua ansiedade acrescentar um côvado à sua altura?
28. E pela roupa, porque andais ansiosos? Prestai atenção aos lírios do campo, como crescem; nem trabalham, nem fiam.
29. E eu vos digo que nem mesmo Salomão, em toda sua glória, se vestiu como um deles.
30. Pois se Deus assim veste a erva do campo, que hoje existe, e amanhã é lançada no forno, não vos [vestirá] muito mais a vós, [homens] de pouca fé?
31. Não andeis pois ansiosos, dizendo: 
 Que comeremos? Ou que beberemos? Ou com que nos vestiremos?
32. Porque todas estas coisas os gentios buscam; pois vosso Pai celestial bem sabe que necessitais de todas estas coisas.
33. Mas buscai primeiramente o Reino de Deus e sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas.
34. Não andeis pois ansiosos pelo dia de amanhã; porque o amanhã cuidará de si mesmo. Basta a [cada] dia seu mal.




6.7 repetições inúteis. NVI: "E quando orarem, não fiquem sempre repetindo a mesma coisa, como fazem os pagãos. Eles pensam que por muito falarem serão ouvidos". Os pagãos faziam naquela época a mesma coisa que os católicos fazem hoje, com rezas pré-programadas e repetidas exaustivamente, na expectativa de que depois de tanta repetição Deus (ou o "santo") decida intervir, como se a repetição acrescentasse algo espiritualmente e atraísse a atenção de Deus. Ao contrário, a oração do verdadeiro cristão deve ser espontânea. Deus é nosso Pai, que quer de nós um relacionamento pessoal e íntimo com Ele, e não uma máquina para se ganhar na insistência.

6.9-13 V. nota em Lc.11:2-4.

6.16 eles já têm sua recompensa. Toda a recompensa dos hipócritas é a recompensa terrena de ser reconhecido pelos outros, naquilo que ele faz buscando autoglorificação. Eles não terão nenhuma recompensa futura, como terão aqueles que buscarem a Deus em secreto diante do Pai.

6.19 não junteis para vós tesouros na terra. É exatamente o contrário da teologia da prosperidade, onde pastores acumulam riquezas terrenas e incentivam os fieis a fazerem o mesmo por meio da fé. Enquanto eles pregam que Deus ajunta riquezas para aqueles que forem fieis no dízimo e nas ofertas, Jesus ensina o contrário, condenando o ajuntar riquezas nesta vida. A nossa verdadeira riqueza está na eternidade, quando desfrutaremos de uma vida eterna com Deus em um Paraíso celestial na nova terra prometida. Nesta vida, somos “os mais dignos de lástima entre todos os homens” (1Co.15:19).

6.32 porque todas estas coisas os gentios buscam. O cristão que se preocupa em primeiro lugar com as coisas desta vida não se diferencia em nada de um pagão ou descrente.

6.33 todas estas coisas vos serão acrescentadas. Jesus não disse que Deus acrescentaria todas as coisas, mas todas estas coisas, as que foram referidas no contexto, com respeito às necessidades básicas de todo ser humano, como roupa (v.28), comida (v.31) ou bebida (v.31). Ele não está falando da casa própria, do carro novo ou da “vitória”, como alguns pregadores triunfalistas ensinam, tirando o texto do seu contexto.

Um comentário:

  1. 6.19 não junteis para vós tesouros na terra. É exatamente o contrário da teologia da prosperidade, onde pastores acumulam riquezas terrenas e incentivam os fieis a fazerem o mesmo por meio da fé. Enquanto eles pregam que Deus ajunta riquezas para aqueles que forem fieis no dízimo e nas ofertas, Jesus ensina o contrário, condenando o ajuntar riquezas nesta vida. A nossa verdadeira riqueza está na eternidade, quando desfrutaremos de uma vida eterna com Deus em um Paraíso celestial na nova terra prometida. Nesta vida, somos “os mais dignos de lástima entre todos os homens” (1Co.15:19).

    CONCORDO PLENAMENTE. A doutrina triunfalista está sendo a desgraça da palavra de Deus, pois os ímpios se escandalizam nela. Para mim, o cristianismo deveria ser baseado em Deus (claro), mas tb em ajudar os outros. Esse ensinamento deveria ser constante nas igrejas. Mas o que vemos são ensinamentos baseados na riqueza (e todos sabem que riqueza faz com que vc só pense em si mesmo). Resumindo: não está tendo diferença alguma entre cristãos e ímpios. Todos só pensam em si mesmos. Apesar de falarem que amam o próximo, com as obras negam essa afirmação.

    ResponderExcluir

Sua participação é importante e será publicada após passar pela moderação. Todos os tipos de comentários ou perguntas educadas são bem-vindas e serão respondidas cordialmente.