20 de julho de 2014

Comentários de Marcos 2

_________________________________________________________________

Este capítulo faz parte da obra: “O Novo Testamento Comentado”, de autoria de Lucas Banzoli e de livre divulgação.
_________________________________________________________________


1. E dias depois, entrou outra vez em Cafarnaum, e ouviu-se que estava em casa.
2. E logo se juntaram tantos, que nem ainda junto à porta [os] cabiam; e falava a palavra para eles.
3. E vieram a ele [uns] que traziam um paralítico carregado por quatro.
4. E não podendo chegar a ele, por causa da multidão, descobriram o telhado onde estava, e fazendo um buraco, abaixaram [por ele] o leito em que jazia o paralítico.
5. E vendo Jesus a fé deles, disse ao paralítico: 
 Filho, teus pecados te são perdoados.
6. E estavam ali sentados alguns dos escribas, que questionavam em seus corações:
7. Por que este fala tais blasfêmias? Quem pode perdoar pecados, a não ser somente Deus?
8. E Jesus logo conhecendo em seu espírito, que assim se questionavam dentro de si, disse-lhes: 
 Por que questionais estas coisas em vossos corações?
9. O que é mais fácil? Dizer ao paralítico: 
 Teus pecados te são perdoados? 
 ou dizer: 
 Levanta-te, e toma teu leito, e anda?
10. Mas para que saibais que o Filho do homem tem poder na terra para perdoar pecados, 
(disse ao paralítico):
11. A ti eu te digo: levanta-te, toma teu leito, e vai para tua casa.
12. E logo se levantou; e tomando o leito, saiu na presença de todos; de tal maneira, que todos se espantaram, e glorificaram a Deus, dizendo: 
 Nunca vimos [algo] assim.
13. E voltou a sair para o mar, e toda a multidão vinha até ele, e ensinava-os.
14. E ele passando, viu a Levi, o [filho] de Alfeu, sentado na coletoria de impostos, e disse-lhe: Segue-me; 
e levantando-se, [Levi] o seguiu.
15. E aconteceu que, estando ele sentado [à mesa] em sua casa, muitos cobradores de impostos e pecadores também estavam também sentados [à mesa] com Jesus e seus discípulos; porque eram muitos, e o tinham seguido.
16. E os escribas e os fariseus, vendo-o comer com os cobradores de impostos e pecadores, disseram a seus discípulos: 
 Por que [motivo] que [Jesus] come e bebe com os cobradores de impostos e pecadores?
17. E Jesus, ouvindo, disse-lhes: 
 Os sãos não necessitam de médico, mas sim os que estão doentes; eu não vim para chamar os justos, mas sim os pecadores ao arrependimento.
18. E os discípulos de João e os dos fariseus jejuavam; e vieram, e lhe disseram: 
 Por que os discípulos de João e os dos fariseus jejuam, e teus discípulos não jejuam?
19. E Jesus lhes disse: 
 Podem os convidados do casamento jejuar, enquanto o noivo estiver com eles? Enquanto tiverem o noivo consigo, eles não podem jejuar.
{convidados – lit. filhos}
20. Mas dias virão, quando o noivo lhes for tirado; e então naqueles dias jejuarão.
21. E ninguém costura remendo de pano novo em roupa velha; senão o remendo novo rompe o velho, e se faz pior rasgo.
22. E ninguém põe vinho novo em odres velhos; senão o vinho novo rompe os odres, e derrama-se o vinho, e os odres se danificam; mas o vinho novo deve ser posto em odres novos.
23. E aconteceu que, passando ele pelas plantações no sábado, e seus discípulos começaram a arrancar espigas [enquanto] andavam.
24. E disseram-lhe os fariseus: 
 Vês [isto]? Por que fazem o que não é lícito no sábado?
25. E ele lhes disse: 
 Nunca lestes o que fez Davi, quando tinha necessidade e fome, ele e os que [estavam] com ele?
26. Como entrou na Casa de Deus, no tempo de Abiatar sumo sacerdote, e comeu os pães da proposição (dos quais não é lícito comer, a não ser aos sacerdotes), e também deu aos que estavam com ele?
27. E dizia-lhes: 
 O sábado foi feito por causa do ser humano, não o ser humano por causa do sábado.
28. Portanto o Filho do homem é Senhor até do sábado.





2.5 teus pecados estão perdoados. Antes de decidir curar o paralítico, Jesus quis cuidar do mais importante – a santificação. De nada adiantava poder andar fisicamente, mas continuar paralítico espiritualmente. A fé demonstrada pelo paralítico ao fazerem o esforço de conduzi-lo a Cristo pelo telhado da casa já era uma evidência de que ele cria genuinamente em Cristo, e por isso poderia receber o perdão dos pecados.

2.7 por que este fala tais blasfêmias? V. nota em Mt.9:3.

2.14 coletoria de impostos. Levi (também conhecido como Mateus), a quem se atribui a autoria do Evangelho de Mateus, era um publicano (cobrador de impostos). Os publicanos eram judeus que estavam a serviço de Roma cobrando impostos de outros judeus, o que os tornavam aos olhos do povo judeu desprezíveis, traidores e “pecadores”. Seu testemunho em um julgamento não era válido e eles eram proibidos de entrar nas sinagogas ou no templo.

2.16 por que come e bebe com os cobradores de impostos e pecadores. Naquela cultura, comer com outra pessoa era sinal de amizade, e aos olhos dos fariseus Jesus estaria se rebaixando ao nível dos “pecadores”. A verdade, no entanto, era que tais pecadores já haviam abandonado suas vidas de pecado para seguirem a Cristo (v.15), e Jesus os estava tratando espiritualmente (curando-os – v.17), e não se juntando a eles por motivos fúteis ou compactuando com eles em sua vida antiga de pecado (como publicanos). Distorcer este versículo na tentativa de passar a ideia de que os cristãos podem naturalmente comer e beber com pessoas imorais em locais inconvenientes para “conversas tolas ou gracejos imorais” (Ef.5:4) é absurdo.

2.17 os sãos não necessitam de médico. V. nota em Mt.9:12.

2.19 eles não podem jejuar. V. nota em Mt.9:15.

2.22 o vinho novo deve ser posto em odres novos. A mensagem de Jesus não se encaixava dentro da tradição judaica corrompida, mas era uma mensagem nova que somente poderia ser aceita sob novos moldes, fora da caixa da tradição dos fariseus e mestres da lei.

2.28 o Filho do homem é Senhor até do sábado. V. nota em Mt.12:8.

0 comentários:

Postar um comentário

O seu comentário passará por moderação e em seguida será exibido ao público.