15 de julho de 2014

Comentário de Mateus 1

_________________________________________________________________

Este capítulo faz parte da obra: “O Novo Testamento Comentado”, de autoria de Lucas Banzoli e de livre divulgação.
_________________________________________________________________


1. Livro da geração de Jesus Cristo, filho de Davi, filho de Abraão.
2. Abraão gerou a Isaque; e Isaque gerou a Jacó; e Jacó gerou a Judá e a seus irmãos.
3. E Judá gerou de Tamar a Perez e a Zerá; e Perez gerou a Esrom, e Esrom gerou a Arão.
4. E Arão gerou a Aminadabe; e Aminadabe gerou a Naassom; e Naassom gerou a Salmom.
5. E Salmom gerou de Raabe a Boaz; e Boaz gerou de Rute a Obede; e Obede gerou a Jessé.
6. E Jessé gerou ao rei Davi; e o rei Davi gerou a Salomão da que [fora mulher] de Urias.
7. E Salomão gerou a Roboão; e Roboão gerou a Abias; e Abias gerou a Asa.
8. E Asa gerou a Josafá; e Josafá gerou a Jorão; e Jorão gerou a Uzias.
9. E Uzias gerou a Jotão; e Jotão gerou a Acaz; e Acaz gerou a Ezequias.
10. E Ezequias gerou a Manassés; e Manassés gerou a Amom; e Amom gerou a Josias.
11. E Josias gerou a Jeconias, e a seus irmãos no [tempo do] exílio babilônico.
12. E depois do exílio babilônico Jeconias gerou a Salatiel; e Salatiel gerou a Zorobabel.
13. E Zorobabel gerou a Abiúde; e Abiúde gerou a Eliaquim; e Eliaquim gerou a Azor.
14. E Azor gerou a Sadoque; e Sadoque gerou a Aquim; e Aquim gerou a Eliúde
15. E Eliúde gerou a Eleazar; e Eleazar gerou a Matã; e Matã gerou a Jacó.
16. E Jacó gerou a José, o marido de Maria, da qual nasceu Jesus, chamado o Cristo.
17. De maneira que todas as gerações desde Abraão até Davi são catorze gerações; e desde Davi até o exílio babilônico catorze gerações; e desde o exílio babilônico até Cristo catorze gerações.
18. E o nascimento de Jesus Cristo foi assim: estando sua mãe Maria desposada com José, antes que se ajuntassem, ela foi achada grávida do Espírito Santo.
19. Então José, seu marido, sendo justo, e não querendo a expor à infâmia, pensou em deixá-la secretamente.
20. E ele, pretendendo isto, eis que um anjo do Senhor lhe apareceu em sonho, dizendo: 
José, filho de Davi, não temas receber Maria, tua mulher, porque o que nela está concebido é do Espírito Santo.
21. E ela dará à luz um filho, e tu chamarás seu nome Jesus; porque ele salvará seu povo de seus pecados.
22. E tudo isto aconteceu para que se cumprisse o que foi dito pelo Senhor por meio do profeta, que disse:
23. Eis que a virgem conceberá, e dará à luz um filho, e chamarão seu nome Emanuel, 
que traduzido é: Deus conosco.
24. E despertando José do sonho, fez como o anjo do Senhor tinha lhe mandado, e recebeu sua mulher.
25. E ele não a conheceu [intimamente], até que ela deu à luz o filho dela, o primogênito, e lhe pôs por nome JESUS.





1.2-16 Mateus usa o termo “gerou” em um sentido mais amplo, que significa “antecedente de”, não necessariamente como sendo o pai natural. É neste sentido que “Jorão gerou a Uzias” (v.8), quando de fato houve três gerações entre eles (Acazias, Joás e Amazias), e é neste sentido que “Josias gerou a Jeconias” (v.11), quando na verdade Josias era pai de Jeoacaz (2Cr.36:1), que era pai de Jeconias.

1.21 Jesus significa o Senhor salva.

1.25 até que. Ao invés de Mateus dizer que José não “conheceu” intimamente Maria nunca (dogma da virgindade perpétua de Maria), ele diz que José não a conheceu até que ela desse a luz a Jesus. Mateus poderia ter dito em relação à Maria o mesmo que foi dito acerca de Mical, que “não teve filhos até o dia da sua morte” (2Sm.6:23). Com isso, ele estaria deixando claro que ela não havia gerado filhos durante todo o seu período existencial (“até a sua morte”). Mas com Maria essa restrição era somente até o nascimento de Jesus, e não para sempre. Este “até que”, quando empregado no NT, implica no fim de um acontecimento. É assim que temos que comer o pão e tomar o cálice até que Jesus venha (1Co.11:26), que os mortos não reviveramaté que se completassem os mil anos (Ap.20:5) – porque reviveram depois –,  que Pedro e João foram colocados na prisão até o dia seguinte (At.4:3) – porque depois saíram – e que a visão do monte da transfiguração não era para ser contada para ninguém até que Jesus fosse ressuscitado dos mortos (Mt.17:9) – eles contaram depois disso (2Pe.1:17,18).

1.25 primogênito. O fato de Mateus acrescentar que Maria deu a luz ao seu “primogênito” (v.25) também indica que ela teve outros filhos. Caso assim não fosse, teria simplesmente escrito que Jesus era o seu “filho único”, como a Bíblia frequentemente afirma em outros casos, em que de fato não havia outros irmãos na família, como o caso da viúva de Naim, cujo “filho único” (Lc.7:12) havia falecido, e do homem que queria expulsar de seu filho o demônio, porque era o seu “filho único” (Lc.9:38). Por que nestes casos não está escrito que eles eram os seus filhos primogênitos? Porque eles eram os seus únicos filhos. Quando alguém era o primeiro de outros filhos de uma mesma mãe, é comum a Bíblia chamar de “primogênito”, por ser o primeiro de outros filhos (1Cr.4:4; 2:50; 1:29); porém, quando ele não apenas é o primeiro, mas também o único, a expressão frequentemente utilizada é a de “filho único” (Lc.7:12; 9:38), expressão essa que nunca foi aplicada a Jesus em relação à sua família natural. 

4 comentários:

  1. Lucas, a biblia católica não está escrito o filho "primogênito" no texto original qual das versões(católica/protestante) se aproxima mais do português?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá. O grego diz:

      "kai ouk eginwsken authn ewV ou eteken ton uion authV ton prwtotokon kai ekalesen to onoma autou ihsoun"

      A palavra "prwtotokon" (no meio da frase) significa "primogênito". Portanto não vejo razões para omitir esta palavra em uma tradução séria.

      Abraços!

      Excluir
  2. Lucas, sobre o nascimento de Jesus ter sido realmente por obra do Espirito... há uma galera que crê que Ele é fruto da união entre José e Maria mesmo... existe algum resquicio de adulteracao desses textos? igual Mateus 28:19 ou Marcos 16 do versiculo 9 em diante?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não, este texto é bem preservado e encontra paralelo em outros evangelhos também. Geralmente quem não acredita são aqueles que não tem fé para acreditar que Deus possa ter feito uma virgem dar a luz, em especial os teólogos liberais, mas essa sempre foi a crença da Bíblia e da Igreja, enfatizada por todos os Pais da Igreja e teólogos ortodoxos das mais diversas vertentes teológicas ao longo dos séculos. Pessoalmente, eu creio que se Deus existe e se tem poder para criar todo o Universo do nada, então fazer com que uma virgem dê mà luz é fichinha. Abs!

      Excluir

O seu comentário passará por moderação e em seguida será exibido ao público.